Category Archives: 5973

Recuperando a senha de root no Ubuntu

Recebi alguns e-mails falando sobre meu post de recuperação da senha do SBS (http://bit.ly/cfcdUg), alegando que era uma falha do Windows e que isso jamais aconteceria no Ubuntu deles. Bem, eu já havia explicado que não era falha do sistema operacional, mas de qualquer forma, aqui vai para eles, como se pode obter o mesmo resultado no Ubuntu e reparem que é ainda mais fácil!!


Para alterar a senha do usuário root em um computador rodando Linux, você só precisa reiniciar a máquina no modo de usuário único (single user mode) e resetar ela.


Explicarei abaixo os passos para fazer isso numa instalação padrão do Ubuntu, com GRUB.


  1. Reinicie a máquina;
  2. Pressione a tecla ESC enquanto o GRUB estiver carregando, para acessar ao menu;
  3. Selecione o modo de recuperação (recovery mode) e tecle “b” para reiniciar a máquina no modo de usuário único (single user mode);
  4. Caso não haja a opção de recuperação, selecione a configuração de boot padrão e tecle “e” para editá-la;
  5. Selecione a linha que inicia com “kernel” e pressione “e” novamente para editá-la;
  6. No final desta linha adicione o parâmetro “single“;
  7. Pressione ENTER para gravar e “b” para reiniciar o computador;
  8. Após a reinicialização o sistema irá deixá-lo no prompt de comando, automaticamente logado como root;
  9. Digite “passwd” para alterar a senha do usuário root;
  10. Caso deseje aproveitar para alterar a senha de outro usuário, por exemplo, do João. Digite: “passwd Joao“;
  11. Informe a nova senha;
  12. Agora digite “reboot” para reiniciar no modo normal (não gosto muito de dar a saudação dos 3 dedos, também conhecida por Ctrl + Alt + Del).

Está pronto e nem precisei de nenhum DVD.


Como isso foi possível? Mesmos motivos explicados no post do SBS 2008.

Red Hat Digital Keys Violated by Intruder

Este é o pior tipo de falha de segurança possível para um sistema operacional. A RedHat está disponibilizando uma atualização ao seu OpenSSH. Notícia original abaixo:


Just about the most serious breach of security possible at an OS vendor happened to this company. Red Hat is releasing updated OpenSSH packages to address the compromise of its internal systems.

In perhaps the most appalling breach of security at a major operating system vendor, Red Hat has revealed that a compromise of its internal systems included the digital signing keys for its distributions. An Aug. 22 advisory from Red Hat announces new OpenSSH packages to deal with the problem:


 


http://www.eweek.com/c/a/Security/Red-Hat-Digital-Keys-Violated-By-Intruder/?kc=EWKNLLIN08262008STR1

Patrocínio da Microsoft à Apache Foundation

Vale a pena conferir os links do texto! 


Em um artigo recente, Roberto Prado comentou sobre o patrocínio da Microsoft à Apache Foundation. Em sua apresentação na OSCON 2008, no dia 25 de julho, Sam Ramji também falou sobre isto e ainda anunciou outras iniciativas importantes da Microsoft junto à comunidade de código aberto. Dentre elas, está a contribuição de um patch para o ADOdb, uma camada de abstração para a conexão com bases de dados para a linguagem PHP. “Esta é a nossa primeira contribuição de código para a comunidade PHP, mas não será a última”, diz Sam, que também falou um pouco mais sobre o OSP, Open Specification Program da Microsoft: “Nós esclarecemos ainda mais nosso OSP, garantindo aos desenvolvedores direitos para a construção de software de qualquer tipo, para qualquer propósito, usando nossa especificação, incluindo software para uso comercial”.

Why Linux is NOT Better.com

O texto não é meu, por isso nem traduzi e coloquei o link para a origem no final, mas vale a pena conferir.


Forget about viruses. I think we went over that already.

Is your system unstable? Who knew. When a system doesn’t do anything, it doesn’t crash. Oops, there goes NFS. Locked desktop. Oops I changed my IP address. Locked desktop.

Linux protects your computer. What does that even mean? It sounds the same as the first one.

Don’t pay $300 for your operating system… but spend 10 weekends setting it up.

Freedom! Yes, free yourselves form the shackles of sanity.

When the system has installed, why would you still need to install stuff? Because the person that creates my OS can’t possibly package everything? Duh?

Update all your software with a single click… as long as you only want the selection and the versions that your distro provides. Don’t you dare visit upstream websites.

Why copy software illegally if you can get it for free? Why spend hours making free software barely work when you can pay $50 and get on with your life?

Need new software? Don’t bother search the web, Linux gets it for you… only if your distro has packaged it. Need software that’s actually useful? Don’t bother searching the web. It’s not there. If it’s even remotely useful, then your distro has probably already included it in a sad attempt to match the functionality of other platforms. Need legal dvd playback? playback of DRM’ed files? FAIL.


 


Fonte: http://linuxhaters.blogspot.com/

Acordo Microsoft e Novell

Saiba mais neste podcast:

O podcast fala sobre o acordo entre a Microsoft e Novell, que vem num momento estratégico onde a Microsoft começa tratar de Interoperabilidade e coloca em linha com as suas estratégia de “Construir Pontes”.  Neste programa falamos como o acordo impulsionou as vendas de SUSE Linux ,  a colaboração técnica que o mesmo proporcionou, possibilitando atender a demanda de mercado com uma solução mais abrangente, além de os motivos pelos quais a comunidade não aceitou as contribuições da Novell. Para ouvir  este podcast clique aqui:

Podcast Acordo Microsoft e Novell.mp3

Powershell Open Source?

Sim, é o PASH!


Usuários avançados do Windows Server já conhecem o Power Shell uma poderosa linguagem de “scripting” (usada para automatizar a execução de processos em lote e seus controles) que, com o Windows 2008, é incorporada como padrão no sistema. O Power Shell, tipicamente chamado de POSH, agora tem uma alternativa em código aberto, o PASH, que mistura os nomes POSH e BASH (típico Shell para os ambientes Linux), é multiplataforma e desenvolvido totalmente com o framework .Net 2.0, podendo ser compilado em qualquer sistema que tenha suporte ao .Net ou ao Mono. Ainda que o primeiro download do projeto tenha sido liberado há mais de duas semana, ele já implementa 50% da funcionalidade nativa do Power Shell e, no site do projeto é possível ver as telas do mesmo rodando em versões do Windows (inclusive CE) e Linux.