Para mostrar um pouco do poder do data binding (ligação de dados – para ver mais, dê uma olhada aqui) no WPF, vamos criar uma lista de fontes do sistema.

Esta lista mostra todos os fontes instalados e mostra um exemplo do texto quando selecionamos um dos fontes da lista.

No XamlPad (se você não tiver instalado o Windows SDK, pode usar outro editor XAML, como o XamlCruncher ou o KaXaml), digite o seguinte código:

<Window 
  xmlns="http://schemas.microsoft.com/winfx/2006/xaml/presentation"
  xmlns:x="http://schemas.microsoft.com/winfx/2006/xaml"> 
    <Grid x:Name="LayoutRoot">
        <Grid.ColumnDefinitions>
            <ColumnDefinition Width="0.5*"/>
            <ColumnDefinition Width="0.5*"/>
        </Grid.ColumnDefinitions>
        <ListBox HorizontalAlignment="Stretch"
           Margin="0,0,5,0" x:Name="ListBox"
           VerticalAlignment="Stretch" 
           ItemsSource="{Binding Source={x:Static
           Fonts.SystemFontFamilies}}" 
           IsSynchronizedWithCurrentItem="True"/>
        <GridSplitter HorizontalAlignment="Right"
           VerticalAlignment="Stretch" Width="5"/>
        <TextBox HorizontalAlignment="Stretch"
          VerticalAlignment="Stretch"
          FontFamily="{Binding Path=SelectedItem,
          ElementName=ListBox, Mode=Default}"
          FontSize="48" Grid.Column="1"
          Text="The quick brown fox jumps over the lazy dog"
          TextWrapping="Wrap"/>
    </Grid>
</Window>

Pronto. Ao teclar F5 (ou F7, no XamlCruncher) você tem uma nova janela que mostra todos os fontes do sistema.

image

O segredo está nos seguintes códigos:

ItemsSource="{Binding Source={x:Static Fonts.SystemFontFamilies}}" 

FontFamily="{Binding Path=SelectedItem, ElementName=ListBox, Mode=Default}"

O primeiro liga os itens da ListBox à coleção SystemFontFamilies da classe Fonts da CLR e a segunda liga o nome do fonte da caixa de texto ao item selecionado da ListBox.

Fácil, não? Isto é só um pequeno exemplo do que pode ser feito…

Até agora, programas WPF só podiam rodar no Windows como aplicações desktop, ou no IE6/IE7, como XBAPs (para dar uma olhada como isso funciona, abram o link http://scorbs.com/workapps/woodgrove/FinanceApplication.xbap no IE – o .net Framework 3.0 deve estar instalado), sem necessidade de alterar o código fonte.

Já com Silverlight é uma outra história: ele roda em IE/FireFox/Safari para Windows ou Mac, mas é mais limitado que um programa WPF e só roda no browser.

Mas, sem muito alarde, foi anunciado que os programas WPF deverão rodar em FireFox, com o .net Framework 3.5. Veja aqui: http://blogs.zdnet.com/Stewart/?p=320. Quando isso acontecer, teremos mais uma plataforma para rodar os programas WPF, expandindo ainda mais as possibilidades de uso.

O WPF (Windows Presentation Foundation) foi introduzido com o .net Framework 3.0 e tem muitos recursos para o desenvolvimento de aplicações ricas:

  • Independente de resolução
  • Mesmo código para Windows e Web
  • Layouts dinâmicos
  • Estilos
  • Modelos (Templates) – possibilidade de skins
  • Data binding
  • Gráficos vetoriais
  • Visual rico
  • Animações
  • 3D
  • Internacionalização, Reconhecimento de voz, Ink…

Se você ainda não conhece o WPF, aqui vai uma introdução de como você pode se aprofundar um pouco mais:

  • Baixe o .net Framework 3.0 (se você está usando Vista, não precisa, pois ele já vem instalado)
  • Instale o Visual Studio 2005 Express ou o Visual Studio 2008 (“Orcas”)
  • Se você instalou o VS2005, instale as extensões para o Visual Studio 
  • Opcionalmente, instale o Windows SDK. Não é obrigatório, mas ele tem muitos exemplos e ferramentas para ajudar no desenvolvimento
  • Baixe o Expression Blend. A versão 1 é paga, você pode baixar um trial e a versão 2 está em beta e pode ser baixada aqui

Uma vez que você baixou e instalou os programas necessários, é hora de conhecer o WPF. Uma boa sugestão é a coleção de artigos que eu e meu filho Roberto criamos para o MSDN:

Vale a pena conhecer esta nova tecnologia que, sem dúvida, irá revolucionar a maneira que fazemos programas.